quarta-feira, novembro 04, 2009

Propp

Estou no segundo ano da Faculdade de Letras e como qualquer estudante, tenho cadeiras horríveis que não servem "para nada", mas este semestre tive a sorte de "calhar" numa cadeira de opção que é uma DELÍCIA.
Para já o professor, o Eiras, é um poço de cultura e tem assim uns jeitos que eu acho simplesmente amorosos, depois a cadeira em si, Literaturas Orais e Marginais, faz um apanhado tão rico, tão variado e tão diversificado de opiniões, séculos, escritores, correntes, e de objectos de estudo que cada aula é única e irrepetível.
Estamos a "estudar" o conto popular atravês de várias lentes e de várias prespectivas, e hoje, falamos em Vladimir Propp (1928) que fez uma "formalização" extensiva de todos os contos populares, o que nos permite "catalogar" os contos por sucessão, acção, agentes, ...
Assim - e esta é a parte que realmente vos quero falar hoje:
A ->representação da mal-feitura
A1 -> o 1 é o expoente de maldade
A2 ( ao cubo) -> expoente duplo de maldade
Estes "códigos" têm uma sucessão e cada um deles retrata um momento comum num conto como por exemplo:
A1 - > dragão/ gnomo maléfico/ogre rapta princesa
AVII -> esquecimento da noiva
A11 - > abandono da amada - Que bonito, foi a partir deste código que me lembrei de escrever este post
Resumidamente, um conto pode ser esquematizado a partir de uma fórmula ( hipotética) como a seguinte:
AB1CD EF6UW:
Nota - W pressupõe um final vitorioso para o herói onde W. simboliza um herói vitorioso porque conquista um reino, e onde W: simboliza um herói vitorioso porque conquista um reino e porque casa com uma princesa.
Não é fascinante?

3 comentários:

  1. tu es a princesa e o heroi e um cavaleiro andante q anda por ai ainda perdido xD
    quem foi que disse eiras ole?
    LOL ^^
    certo???????

    ResponderEliminar